• El cuerpo que habito. Escritura desde la fisura sexo-género

    Portada da revista La Madeja

El cuerpo que habito. Escritura desde la fisura sexo-género

Un texto pessoal-político, que funciona a modo de diário de campo, reflexoms sobre a subxetivaçom da minha identidade, processo de emancipação dos códigos de normalização do corpo e a definiçom performativa de mim mesmo.

Texto poético em prosa-verso para o monográfico Sexualidades, nº8 da revista La Madeja.